Opinião... Rosa Lobato de Faria * Vento Suão

Data Início: 23-02-2015 
Data Fim: 24-02-2015

AutorRosa Lobato de Faria
Título: Vento Suão
Editora: Porto Editora
ISBN: 9789720041821
N. Páginas: 176

Sinopse:
Quando faleceu, a 2 de Fevereiro de 2010, Rosa Lobato de Faria deixou inacabado este Vento Suão. Pôs-se então a hipótese de pedir a um(a) autor(a) das suas relações que imaginasse um desenvolvimento para a história que a morte não deixara chegar ao fim e terminasse o livro inacabado. Depressa se concluiu, no entanto, que tal não era a melhor solução – primeiro, porque não se tinha a certeza de que a autora aprovasse essa inclusão de uma voz alheia no interior do seu próprio fluir narrativo; depois, porque, apesar de inacabado, o romance tinha o desenvolvimento suficiente para se deixar ler como um todo com sentido. Aqui fica, pois, este Vento Suão tal e qual como Rosa Lobato de Faria o deixou. E como derradeira homenagem a uma escritora cuja obra teve como eixos fundamentais “a força da vida, o conhecimento profundo da realidade e do meio em que se agitam os seus fantoches ficcionais, o domínio das minúcias, o fôlego narrativo, a irrupção imparável de um vento negro de violência que impõe uma aura de tragédia intemporal ao que parece quase inócuo.”

Comentário:
Acho que quem já leu os livros da Rosa Lobato de Faria vai entender o que digo a seguir. 
A editora é honesta e revela-nos na sinopse que este foi o livro que ficou por terminar porque, infelizmente, a autora faleceu enquanto o escrevia. 

Foi já com um sentimento de saudade que iniciei esta leitura, por saber que já não teria mais nenhum livro de Rosa Lobato de Faria para ler (embora tenha todos eles para reler!) e que esta seria a última história escrita pela sua mão.

Um livro, para o ser, tem que ter princípio, meio e fim. Terá este princípio e meio? Seguramente, e com a mesma qualidade de sempre. Histórias simples que contêm tantos sentimentos e emoções! Mas não tem fim, ainda que possamos dar azos à nossa imaginação, a verdade é que a história não está completa. Falta-lhe o desfecho que estaria certamente na cabeça da autora. No entanto, também concordo que ser terminado por outra pessoa não faria sentido...

Se valeu a pena lê-lo? Sem dúvida! Uma vez mais foi a prova que Rosa Lobato de Faria tinha uma mestria, simplicidade e profundidade na escrita que não transpareceria na sua imagem pública. Desde que li "As Tranças de Inês" fiquei fascinada e fã e segui sempre a sua obra. 

A editora refere que este livro é uma espécie de homenagem. Ainda bem que o fez! A minha singela homenagem aqui fica, o meu obrigada a uma Grande Escritora.

Classificação: 7/10

2 comentários:

Isaura Pereira disse...

Olá Maria João,

Já há muito tempo que vejo este livro pelos blogues literários e sempre me despertou curiosidade.
Nunca li nada de Rosa Lobato de Faria. Sim, falha minha. Mas espero corrigir em breve :)
Ainda bem que foi um boa leitura.

Beijinhos e boas leituras.

Maria João disse...

Olá Isaura.

Se me permites uma opinião lê Rosa Lobato de Faria, mas não comeces por este livro.
Boas leituras.
Beijinhos
Maria Joao