Maria João Lopo de Carvalho * Padeira de Aljubarrota

Data Início: 19-01-2014 
Data Fim: 27-01-2014

AutorMaria João Lopo de Carvalho
Título: Padeira de Aljubarrota
Editora: Oficina do Livro
ISBN: 9789897410338
N. Páginas: 580

Sinopse:
Muitas histórias correram sobre a humilde mulher que, em 1385, numa aldeia perto de Alcobaça, pôs a sua extrema força e valentia ao serviço da causa nacional, ajudando assim a assegurar a independência do reino, então seriamente ameaçada por Castela. É nos seus lendários feitos e peripécias, contados e acrescentados ao longo dos tempos, que se baseia este romance, onde as intrigas da corte e os tímidos passos da rainha-infanta D. Beatriz de Portugal se cruzam com os caminhos da prodigiosa padeira de Aljubarrota, Brites de Almeida, símbolo máximo da resiliência e bravura de todo um povo.  

Comentário:
Quando fui ao encontro com os leitores de Maria João Lopo de Carvalho, na Biblioteca de Carnaxide (aqui), tive pena de não ter ainda lido o livro. Agora que terminei o livro, digo "ainda bem que ainda não o tinha lido!". A conversa com a escritora enriqueceu de tal maneira a leitura! Imensas partes que ao ler, ouvia a escritora a falar, a sua energia, o seu brilho no olhar a falar deste tema que lhe é tão aprazível.

O livro é muito interessante. Eu gosto muito de romances históricos. Neles, tenho a oportunidade de re-aprender a história que na altura da escola não gostava... Neste romance Maria João relata, em paralelo, a vida da raínha Beatriz e a vida de D. Brites, Padeira de Aljubarrota. Conforme a autora referiu, a história da Raínha Beatriz segue a realidade tal como chegou aos nossos dias, depois de muita pesquisa da autora. A sua infância, o seu casamento com D. Juan de Castela, as lutas pelo reinado de Portugal.
No que toca a D. Brites, a informação disponivel vive muito do mito, e por isso a autora, depois de se documentar, deu largas à sua imaginação e trouxe-nos a "sua" Brites de Almeida, Padeira de Aljubarrota. Mulher-macho, sofrida, com seis dedos em cada mão, acusada inúmeras vezes de bruxaria, iletrada mas muito forte.

É um livro grande, com muita informação, mas que se lê com muita facilidade. Acresce que é construído por capítulos intercalados entre as duas personagens principais, onde cada um termina num momento chave, o que faz com que não se consiga parar de ler!

Gostei muito e estou muito curiosa com o outro romance histórico da autora, "A Marquesa de Alorna".

Classificação: 9/10

Sem comentários: