Opinião... David Liss * O Dia da Expiação

Data Início: 23-10-2015
Data Fim: 27-10-2015

AutorDavid Liss
Título: O Dia da Expiação
Editora: Clube do Autor
ISBN: 9789897242472
N. Páginas: 384

Sinopse:
Lisboa é o palco desta história fascinante narrada por um dos principais romancistas históricos norte-americanos.
1755. Esta é a história de um homem dividido entre o desejo de vingança e a necessidade de perdão. Sebastião regressa do exílio determinado em vingar-se da Inquisição, que lhe havia destruído a família. Mas numa cidade marcada pela pobreza, injustiça e intolerância religiosa, não será fácil distinguir os aliados dos inimigos. E quando uma reviravolta do destino arruína os seus planos, Sebastião terá de escolher entre a sede de sangue ou a causa da misericórdia.
«A história foi bem investigada e revela um retrato excelente de Portugal sob as sombras da Inquisição.»
Library Journal

Comentário:
Tenho e li há já muitos anos três livros de David Liss. Com o passar do tempo, as histórias foram-se esfumando da minha cabeça, mas não a certeza de que gostei muito de as ler. Por isso mesmo, assim que vi que o Clube do Autor tinha lançado um novo livro do autor, quis muito ler esta nova história.

Este livro veio confirmar que, de facto, David Liss escreve muito bem e tem a particularidade de centrar a trama em Lisboa, o que a torna ainda mais especial.

O autor começa o relato da vida de Sebastião Raposo em 1745 quando este era um menino de 13 anos, inocente e a viver o seu primeiro amor com Gabriela.
De súbito, Sebastião vê o seu mundo ruir quando o pai é preso pela Inquisição e a sua mãe apenas encontra como saída para o jovem mandá-lo para Inglaterra, por forma a salvá-lo da prisão e morte. Com a ajuda de um inglês, o Sr. Settwell, consegue partir, anónimo, num barco. E esta é a última vez que Sebastião vê os pais.
A história tem então um salto de 10 anos. Estamos em 1755 e Sebastião volta a Lisboa, desta feita como um inglês de 23 anos que, supostamente, procura fazer negócios em Portugal. Rebatizado como Sebastian Foxx (adorei o pormenor do nome), ele regressa com um único objectivo - vingar a morte dos pais e matar o padre que os prendeu e matou - Pedro Azinheiro.
No entanto, o que Sebastian não contava era que, ao cruzar-se com pessoas do seu passado, nomeadamente o Sr. Settwell, se sentisse "obrigado" a ajudar quem o ajudou e vê os seus planos de vingança adiados. Toda uma trama de mentiras e enganos leva-o por caminhos inesperados que darão um novo rumo à sua vida. 

Posso dizer que eu estava tão embrenhada na história de vingança e ajuda de Sebastian que me esqueci por completo do terramoto e, quando este acontece, apanhou-me completamente de surpresa. Adorei em especial essa parte. As descrições do próprio terramoto, mas principalmente de como Lisboa ficou arrasada e devastada depois são muito boas e sente-se o medo das pessoas, o pânico e a impotência face à natureza.

Gostei muito da escrita do autor, da forma simples como nos contou uma história complexa de procura de vingança para libertar toda a raiva que um jovem tinha dentro de si por ter sido expatriado, sozinho e perdido os pais, simplesmente porque a Inquisição assim o entendeu. Os relatos dos edifícios, das ruas, da noite, dos bandidos é muito clara ao ponto de me sentir lá. 

O livro não tem momentos mortos, é viciante e até o final (que não esperava) acabou por fazer todo o sentido, enquadrado no tipo de livro que é.
Gostei muito e recomendo!

Classificação9/10

Sem comentários: