Opinião... Jojo Moyes * O Olhar de Sophie

Data Início: 15-09-2014 
Data Fim: 21-09-2014

AutorJojo Moyes
Título: O Olhar de Sophie
Editora: Porto Editora
ISBN: 9789720046451
N. Páginas: 456

Sinopse:
Esta é a história de duas mulheres separadas por um século, unidas pela determinação em lutar por aquilo que mais amam e que têm em comum um quadro.
França, Somme. 1916. Numa aldeia ocupada pelo Exército Alemão, Sophie Lefèvre tenta sobreviver às privações e à brutalidade impostas pelo invasor, enquanto aguarda notícias do marido, Édouard Lefèvre, um pintor impressionista que se encontra a lutar na Frente. Quando o hotel gerido por Sophie é requisitado pelas forças alemãs, o Komandant vê um retrato de Sophie pintado por Édouard e uma perigosa obsessão pelo quadro e pela própria Sophie instala-se.
Entretanto, Édouard é feito prisoneiro e Sophie está determinada em ir ao seu encontro, mesmo que para isso tenha de tomar uma decisão terrível. Um século mais tarde, o retrato de Sophie encontra-se pendurado numa parede da casa de Liv Halson, em Londres. Liv é uma jovem viúva a quem o marido oferece o quadro durante a lua de mel.
Quando Liv conhece Paul McCafferty, um investigador que segue o rasto de arte roubada pelos alemães durante as duas guerras, está longe de imaginar que o homem, que ao fim de tantos anos de solidão a faz sentir de novo viva e por quem se apaixona, lhe trará a maior desilusão – a família de Sophie contratou Paul para conseguir reaver o quadro desaparecido.
A luta que Liv empreende para ficar na posse do quadro leva-a a fazer uma viagem no tempo e a investigação do percurso do quadro torna-se em simultâneo uma investigação ao passado de Sophie. Com personagens bem construídas – mulheres determinadas que em nome do amor ousam desafiar o destino - Jojo Moyes apresenta-nos um romance soberbo.

Comentário:
Adorei este livro! Adorei a história, os personagens, a sua caracterização, a época, os dois tempos em que a acção se passa e a forma como se interligam, o desfecho. Tudo! Adorei e, apesar de ter lido o final de forma compulsiva porque queria muito saber como acabava, tive pena de me afastar de Sophie e de Liv, duas mulheres fortes e guerreiras, cada uma à sua maneira em épocas e realidades tão distintas.

Sophie e Heléne são duas irmãs que vivem e sentem na pele os efeitos da ocupação alemã a França, aquando da Primeira Grande Guerra. Ambas têm os maridos na frente de batalha e tentam sobreviver com o seu pequeno hotel, agora apenas convertido em café/restaurante, o Le Coq Rouge. Sophie vive agustiada por não saber onde anda o seu amado Edouard e apenas o quadro que ele lhe pintou dela lhe trás algum consolo.
A dada altura, o Le Coq Rouge é convocado pelas tropas alemãs para que passe a servir o jantar à tropa ali instalada e o kommandant desta tropa fica encantado com Sophie e com o seu quadro. Mal ambos sabiam as "revoluções" que este quadro iria provocar num futuro longinquo.

Liv perdeu o seu marido de forma súbita e não se consegue conformar com o facto. Já passaram quatro anos mas ela não consegue recuperar e voltar a viver. E é precisamente nesse dia, porque Liv não aguenta ficar fechada em casa e decide ir a um bar, que conhece Paul, irmão do dono do bar. Lá, Liv é roubada e, sem dinheiro nem sequer chaves de casa, vê-se a dormir em casa de Paul. Entre eles começa a florescer uma relação tímida.
Paul é especialista em procurar obras de arte roubadas pelos alemães durante as Guerras e restituí-las aos legítimos herdeiros das mesmas e, qual não é o seu espanto quando ao dormir em casa de Liv, descobre que ela tem o quadro de Sophie, o quadro que ele procura do processo que tem actualmente em mãos.
E será este quadro que irá criar a rotura entre ambos, porque Liv não aceita a situação e decide avançar para tribunal lutando pela posse do quadro. E para tal decide ir atrás da sua história, descobrindo a fantástica mulher que foi Sophie.

Jojo Moyes é cada vez mais, para mim, uma autora de referência. Com uma escrita cuidada e histórias elaboradas que me prendem da primeira à última página. Tenho a certeza que me vou lembrar muitas vezes deste livro, do olhar de Sophie, da casa de vidro, da luta de Liv. Não deixaram de ser uma referência para mim!

Classificação: 9,75/10

Sem comentários: