Alexandre Saro * Ararat

Data Início: 17-11-2013 
Data Fim: 22-11-2013

AutorAlexandre Saro
Título: Ararat
Editora: Chiado Editora
ISBN: 9789895103898
N. Páginas: 282

Sinopse:
Segundo a tradição judaico-cristã, após meses de diluvio universal, a Arca de Noé terá tocado terra firme num monte chamado de Ararat. Foi nesse local que os filhos de Noé recomeçaram a titanesca tarefa de recolonização do planeta. Milénios depois, algures no Minho profundo, reconstruir essa arca torna-se no desígnio de uma Instituição pública da região.
"Ararat" conta essa história. As vidas, os propósitos, medos, ilusões, mesquinhez e a forte presença da religião.
Um emigrante ilegal vem para Portugal em busca de um sonho. Um político local tenta reformar-se com dinheiro e glória. Um jovem ambicioso engenheiro reencontra uma paixão antiga jamais consumada, enquanto um advogado descobre ter casado por amor. Percursos de vida entranhados de ambição e frustração.
Em síntese, "Ararat" é a história colateral à edificação de uma obra pública. A história marginal aos grandes desígnios. Ou, talvez quem sabe, a história principal.
É uma narrativa negra ilustrativa das debilidades contemporâneas dos descendentes de Noé.

Comentário:
Alexandre Saro era, para mim, um escritor desconhecido. Mas ainda bem que tive a oportunidade de conhecer a sua escrita, porque gostei muito do seu livro de estreia, Ararat.

E Ararat é o nome de um megalomano projecto desenvolvido por uma fundação pública tendo por objectivo a construção de um espaço público, em formato de Arca de Noé, para dar visibilidade à terra e promover a cultura. Mas o projecto Ararat é muito mais do que isso. E é aqui que Alexandre Saro toca inúmeras vezes na ferida com mestria, colocando a descoberto uma realidade que é, infelizmente, muito mais vezes a regra do que a excessão - a corrupção, o mundo dos favores, o conceito do "uma mão lava a outra".
É uma história consistente, enriquecida com outras histórias paralelas que poderão (ou não) justificar determinadas atitudes e procedimentos dos personagens.
Gostei muito de ler este livro, que apresenta uma escrita e um português cuidado.
Uma nota final, menos positiva, vai para a capa. Na minha opinião, não é uma capa apelativa. Numa livraria, acho que não se destaca e temo que este livro passe um pouco despercebido por isso mesmo, o que seria uma pena! 

Classificação: 8/10

Sem comentários: