Cátia Lopes dos Reis * A Vida Antes do Tempo


Data Início: 16-05-2013
Data Fim: 17-05-2013

AutorCátia Lopes dos Reis
Título: A Vida Antes do Tempo - Histórias de Bebés Prematuros
Editora: Alfarroba
ISBN: 9789898455529
N. Páginas: 254

Sinopse:
«O meu nome é Cátia, nasci na Charneca da Caparica, em Almada, em fevereiro de 1985. Sou enfermeira de profissão, trabalho na Urgência do Instituto Português de Oncologia de Lisboa e sou pós-graduada em Gestão de Serviços de Saúde pelo INDEG/ISCTE.
Em setembro de 2010, após uma crise conjugal resolvida, eu e o meu marido Vasco decidimos empreender uma nova etapa na nossa vida, a de sermos pais. Mas o sonho tornou-se pesadelo, quando o nosso filho Afonso nasceu de apenas 23 semanas e 6 dias de gestação.
Quando as perdas se sucedem, a perda de sonhos, da perfeição, da vida como a conhecíamos até então, sobrevivemos juntos a 123 dias de internamento em duas Unidades de Cuidados Intensivos de Neonatologia.
Acompanhada à distância por uma confidente muito especial, a Ilídia, mãe de uma prematura que nasceu de 23 semanas e 5 dias, hoje com 14 anos de idade, conto a nossa história. Como forma de tentar escapar a um surto de loucura iminente, encontrei o meu escape, relatando sob a forma de um diário o meu dia a dia, as dúvidas e os sentimentos de uma época em que vivi algures entre a esperança e o desespero.
Ao longo deste doloroso percurso, existiram momentos-chave, de loucura, de pânico, de esperança e de dormência. As questões da vida e da morte, da prematuridade extrema, abaixo do limiar da viabilidade, os nossos valores, as nossas crenças foram levados ao limite na derradeira decisão da nossa vida, deixar partir o Afonso em paz.
Dois testemunhos de vida, semelhantes no seu percurso, diferentes no seu final. Desafiando as estatísticas, as lógicas da ciência, lutando contra os nossos próprios demónios e contra os das equipas de saúde, expiamos assim a nossa culpa, a nossa dor e as nossas memórias. É o meu legado, o legado de outra mãe prematura, o legado dos nossos filhos, para que outras mães prematuras sintam que não estão sozinhas nesse sofrimento atroz.»

Comentário:
Terminei agora mesmo este livro e estou ainda sem palavras! Mas decidi escrever já, sem ter tempo de "acalmar" as ideias porque é um livro muito forte e emotivo e eu quero que isso transpareça neste comentário.
Nele, Cátia Lopes dos Reis conta a sua história, verídica e, infelizmente trágica - a história do que é ter um bebé prematuro, abaixo do limiar da viabilidade humana. O Afonso nasceu com 23 semanas e 6 dias e foi um menino lutador que sofreu muito antes de nos deixar 123 dias depois. É uma lição de vida e faz-nos perceber que nos queixamo do bem que temos, quando outras pessoas passam por situações que nem existem palavras para descrever. E a Cátia e o seu marido Vasco passaram por uma dessas situações. Após 4 meses de luta pela vida, Afonso perdeu as suas faculdades devido a complicações no cérebro e os pais tomaram a opção de não ter mais qualquer intervenção médica e deixaram-no ir. 
É uma realidade impossível de aceitar, imagino apenas uma infima parte do que foi e é o sofrimento desta familia. E hoje, depois de acabar de ler o livro, olho para o meu pequenino, sempre saudável, inteligente e forte e penso, que bom que ele é reguilas e faz disparates! 
O livro está muito bem escrito, fácil de ler, porque vive muito das comunicações que ocorreram entre a Cátia e uma outra mãe que viveu um drama idêntico, este com final feliz e que decidiu, à distância de um email, apoiar incondicionalmente Cátia, tornando-se no seu pilar de apoio. É comovente (tive que parar de ler no comboio, porque já não conseguia conter as lágrimas), e é muito humano. Acho que todos o deveriam ler, quem passou ou está a passar pela mesma experiência para se sentir apoiada/o e para quem teve a felicidade de não passar por ela, para poder dar valor ao que tem. Eu encontro-me no segundo grupo e este livro deu-me muito que pensar!
Aos pais do Afonso e de todos os meninos na mesma situação, o meu imenso respeito.

Classificação: 9,5/10

2 comentários:

Catia Lopes disse...

Sou suspeita ao responder a esta crítica deveras fantástica. Gostava apenas de lhe agradecer o facto de ter dedicado o seu tempo a conhecer este pedacinho de nós, esta realidade que podia bem ser a sua ou de alguém próximo. O saber não ocupa lugar... talvez há um tempo atrás me tivesse valido de algo estar mais informada acerca desta temática.
Um grande abraço.
Cátia Lopes dos Reis

Maria João disse...

Muito obrigada pelo seu comentário Cátia. A minha critica (chamaria mais uma opinião) reflete exactamente aquilo que senti ao ler o seu livro.
Como disse no comentário, tenho um imenso respeito por si e pela sua familia.
Um beijinho
Maria João