Luísa Castel-Branco * Diz-me Só a Verdade

Data Início: 11-04-2013
Data Fim: 14-04-2013

AutorLuísa Castel-Branco
Título: Diz-me Só a Verdade
Editora: Clube do Autor
ISBN: 9789897240478
N. Páginas: 340


Sinopse:
Francisca tem quarenta e dois anos, três filhos e um casamento com o seu primeiro amor. Mas a sua vida aparentemente feliz encontra sombras do passado e um presente sem as luzes que sonhara para si.
A vida desta mulher cruza-se com a saga de duas famílias unidas pelo passado e divididas por um presente armadilhado por desejos de vingança e revelações esmagadoras. Entretanto, a chegada de uma carta inesperada denuncia um segredo e muda o destino de Francisca.


Comentário:
Não posso iniciar este comentário sem partilhar com quem o lê uma parte da prefácio da autora. É por esta qualidade e sensibilidade de escrita que eu estou rendida a Luísa Castel-Branco:

"Desde muito cedo que contamos historias aos nossos filhos que começam com a célebre frase "Era uma vez...". Histórias de encantar, de magia, histórias em que tudo é possível e o final é sempre feliz.
Mais tarde voltamos a contar as mesmas historias aos nossos netos muitas vezes embelezando ainda mais a narrativa.
Mas o que nos sobra? A vida. E essa encarrega-se de nos destruir a capacidade de sonhar, de acreditar que tudo é possível, de acreditar nos outros e em nós próprios. Não há mais finais felizes.
A realidade pesa-nos como um casaco molhado. E sobrevivemos aos dias sem a ajuda desse tempo mágico que deixámos para trás.
Nunca como hoje foi tão urgente retomarmos essa fantástica capacidade de voltarmos a sonhar.
E um romance é isso mesmo. Páginas que nos levam a levantar vôo, que nos transportam para um mundo do podia ser.
Também nós merecemos essa frase magica "Era uma vez...".
Também nós temos o direito a acreditar em finais felizes, nem que seja apenas durante o espaço de tempo em que mergulhamos na leitura de um livro.
Este romance é isso mesmo. Um oásis do que podia ser, do que podia acontecer, algo para nos aconchegar a alma e nos fortalecer nestes tempos de compasso de espera.
O tempo que medeia entre o hoje e aquilo a que temos direito."

Gostei bastante deste livro, uma livro ao mesmo tempo simples e complexo. Simples de ler e apreender, complexo nos sentimentos que acarreta e nas decisões e pequenos nada que acabam por ter um grande impacto numa vida.
Nele, Luísa conta-nos a história de Francisca, nascida no seio de uma familia com ambiente pouco familiar, com uma mãe mais invejosa que amiga e irmãos espelho da mãe. Francisca sempre foi calma e obediente até ao dia em que decide ir para a faculdade, pagando os estudos com o seu próprio trabalho. Empenhada, consegue terminar o curso com distinção e arranjar trabalho como tradutora na embaixada alemã. Depressa o seu profissionalismo a leva longe, afastando-a da sua familia.
Por outro lado, Eduardo é filho de uma familia abastada, gere uma empresa com 3 amigos e tem uma vida folgada e leviana. Até que conhece Francisca e a sua personalidade forte e determinação conquistam-no. Depois de aventuras e desventuras inúmeras, Eduardo e Francisca casam-se e têm 3 filhos.
O que começou como uma relação de amor, vai esfriando até que se tornam estranhos e Eduardo retoma uma antiga relação com Mafalda, mas que irá ter muito mais implicações que um simples relacionamento extra-conjugal poderia acarretar.
Também a familia de Mafalda tem as suas histórias, como a sua prima, mãe adolescente que acaba por ser ajudada e apoiada pela avó de ambas, depois de ver os seus pais virarem-lhe costas.

A escrita de Luísa Castel-Branco transmite os sentimentos de forma tão real que é fácil vivermos a personagem, sentir medo, alegria, raiva, frustação, euforia. E isso leva-nos ao tal mundo do faz de conta, do "era uma vez..." de que a autora fala no início do livro e que nos oferece horas de leitura agradável!

Classificação: 7,5/10

Sem comentários: